Blog do Criador

Esta seção é o blog do criador. Impressóes sobre o American staffordshire terrier, a criação, o canil, assuntos relevantes e polêmicos podem ser abordados de forma livre e transparente. Se tens alguma contribuição verdadeira a fazer para a raça envie um e-mail que discutiremos.

  • 06 de Fevereiro de 2014
  • O surfista e o american.

Vejo pela sacada do apartamento de cobertura que um amigo me emprestou uma linda vista da praia de Itapirubá. Esse amigo adquiriu um american no passado. Depois outro e acabamos iniciando uma amizade como tantas que conquistei tendo como elo os americans. Os pais dele, em meio a um churrasco nos ofereceu o apartamento e acabamos aceitando com alegria. Ficaremos 7 dias aqui e depois iremos para um hotel na praia de Garopaba. Aqui o vento e as ondas são fortes e por isso se tornou um reduto de surfistas. É uma praia calma e agreste ao mesmo tempo. As pessoas se conhecem e existe um trato amigável entre os moradores. As janelas e portas comumente se encontram abertas e os muros batem na altura dos joelhos. Deixam as roupas secando ao alcance das mãos de quem passa. Não parece que estamos no Brasil. 

Bem, me detendo nos surfistas que estavam adiante e procurando as melhores ondas percebi que não havia lugar para medos, inseguranças ou outros conflitos. O surfista desafia o perigo naturalmente pois tem coragem. Admiro os corajosos. Nessa vida é preciso possuir muita coragem pois todos os dias somos desafiados. Entre todas as raças creio que o american staffordshire seja um dos mais corajosos e, nesse quesito, o surfista me fez lembra-lo. Sobre o american, desde cedo ouvi que sua coragem seria proverbial. 

Hoje a Ida entregou o último filhote da ninhada da Sharon. Que bela fêmea. Que ninhada maravilhosa! Agora a Sharon descansará pois fez histerectomia. Felizes os que adquiriram os filhotes dessa última ninhada.

Quando retornar eu tiro novas fotos das ninhadas da Maphia e da Thora.

Caminhando na areia da praia e ouvindo o som das ondas se chocarem entre si recrio novos pensamentos que vão se multiplicando. O mar é imenso e nos deixa pequenos mas quando nos identificamos com ele e deixamos nosso espírito vagar entre suas marés nos tornamos grandes pois nos fundimos com a natureza.  

Sejamos surfistas nas ondas de nossa existência!


  • 03 de Fevereiro de 2014
  • Itapirubá.

O vento leva as ondas de encontro as rochas e suas múltiplas pedras enormes que margeiam suas formações. A luz do sol cintila sobre as ondas e o mar tece com alegria desenhos na espuma como uma cortina de rendas que se unem sem fim nas margens da praia. Estou em Itapirubá, uma praia calma de Santa Catarina e reduto de inúmeros surfistas que vejo do alto nesse momento esperando a onda desejada. O calor no sul tem sido mais que generoso, talvez exagerado. Mas na praia é esperado como necessário e a brisa da costa equilibra a temperatura da pele e multiplica a alegria da família num ambiente diferente, gozando de férias. O que se planeja é alvissareiro.

Mas sempre existe o que lamentar. Como o nascer do sol que não fotografei nessa madrugada quando levantei para bater o ponto no vaso do banheiro. Mas existe solução pois um novo sol visitará o horizonte amanhã e dará nova oportunidade para esse viajante.

Dividirei essa imagem assim que a captar. Verão que não minto. A beleza está ao nosso redor em meio ao caos.


  • 26 de Janeiro de 2014
  • A beleza da vida - filme italiano.

Assisti ontem com a Ida o filme "A Beleza da Vida". Concorre ao Oscar de filme estrangeiro. A fotografia é pálida, parace que foi filmado com aqueles filmes com o ISO alto em dias com pouca iluminação e que quando vem a luz fica meio envelhecido ou queimado. O protagonista reflete sobre sua vida, a decadência dos valores superficiais da sociedade e a forma esteriotipada que valorizamos em excesso o sexo. Filme bom para meditar.

Tirei hoje fotos dos filhotes da Maphia com o Cielo. Estão com 8 dias de vida. Tres machos e quatro fêmeas. Ontem reservaram a terceira fêmea. Não tenho ainda reservas para machos.

Eu acredito que a beleza da vida está inserida nos pequenos detalhes, na simplicidade, nos pequenos gestos de amor e generosidade, no dia a dia vivido sem ter tantos desejos e exigências e sim aproveitar o que temos. Por isso Jesus enalteceu os puros de coração pois eles veriam a Deus. Deus nos espera todos os dias em todos os lugares. Ele está em tudo e em todos. Mas nós não o entendemos e issp nos frustra. Tentamos compreende-lo pelos livros e opiniões alheias. Mas Ele se manifesta de forma especial para cada um e nunca o entenderemos pela razão. Certamente por um motivo muito especial: nós não somos apenas razão. Isso que escrevi não tem nada a ver com o filme eu vi. Mas poderia até ter.


  • 24 de Janeiro de 2014
  • Eros e Thanatos.

A bendita chuva pairou por momentos nos céus de Porto Alegre hoje a tarde. Refrescou um pouco por alguns minutos mas está ainda abafado. parece que amanhã a temperatura cairá.

Os filhotes da Maphia estão com energia, fortinhos e com toda aquela gana que a Maphia e o Cielo passam. São americans desde os primeiros dias. Freud dizia que o ser humano tem duas forças dentro de si. Uma que o leva para o crescimento, a vida e chamou de Eros, ou instinto de vida. Uma outra força seria negativa, que o leva à destruição e chamou de Thanatos. Instinto de vida e instinto de morte. Todos nós temos essas duas forças antagônicas dentro de nós. Isso explica muito do que fazemos nessa nossa vida. Isso que eu vejo nos filhotes que insistem em viver é, para mim, o Eros. 

Quando o filhote possui essa força dificilmente morre. Mas nem todos os filhotes possuem essa força e nem todas as pessoas também. Estão me pedindo novas fotos. Eu amanhã a tarde tirarei novas fotos dos filhotes da Thora com o Highlander e colocarei as primeiras fotos dos filhotes da Maphia, embora nem tenham aberto os olhos. Mas mata um pouco a curiosidade. Será só clicar em filhotes disponíveis do site.

Os filhotes da Thora com o Highlander estão pesadinhos e mal conseguem se movimentarem. Hoje eu molhei todos quando escutei um chorinho de alguns. Eles ficam quietinhos. Já gostam da mordomia. A Thora fica monitorando os meus passos e a Maphia idem. 

Eu agora vou deitar pois preciso monitorar a minha mulher que já me deu boa noite e não posso perde-la de vista. Até amanhã amigos.


  • 21 de Janeiro de 2014
  • As mães sempre tem razão.

Toda a vez que vemos um filhote meio desconfortável com o calor estamos molhando as patinhas e parte do corpo. E eles ficam felizes (ou aliviados) assim que fazemos isso. Outro dia, no jogo do Gremio com o São José as temperaturas chegaram a 68 graus centígrados próximo da grama sintética. O calor constante aquece tudo. Não tem como eu colocar ar condicionado nos canis pois cada box fica aberto em dois pontos (em cima e na saída). Ventilador eu tentei mas tem fêmeas que desconfiam daquele barulho ou objeto estranho e saem da caixa dos filhotes. O jeito é fazer como estamos fazendo e torcer pela Argentina. Não pela seleção da Argentina mas pela frente fria que quando vem de lá esfria aqui no sul. Nesses momentos como eu gosto da Argentina! Minha mãe tinha de fato razão: o inverno é melhor. Porque será que as mães sempre tem razão? Mas lá para cima, no nordeste faz uma temperatura amena o ano inteiro. Pelo menos em Natal que fui já tres vezes. Um amigo que mora no Ceará me falou que no ano passado só foi na praia tres vezes. Ele disse que trabalhar num clima quente não é bom e que praia é ótimo só para turista. Eu não sei porque nunca morei numa cidade litorânea. Mas morar na zona sul do Rio de janeiro, numa praia da Bahia ou Alagoas, ou mesmo de Santa Catarina me parece convidativo. 

Mas duas coisas temos aqui no sul que considero o que há de melhor: a beleza das mulheres gaúchas e os americans New Kraftfeld. Fora a minha modéstia que é nada sutil.


  • 20 de Janeiro de 2014
  • Dia muito quente...

Hoje não foi um dia bom. Muito quente a ponto dos cães não pararem de ficarem ofegantes. os filhotes chorando de calor. Molhavamos alguns para pararem de chorar. Um machinho faleceu da ninhada da Baby Snake. Hoje escutei na globo que amanhã a temperatura mais alta no Brasil será em Porto Alegre. Quando um filhote que já completou 30 dias de vida vem a falecer isso é lamentável. Estou triste. Amanhã tomarei algumas providências.

Os filhotes da Maphia nasceram há dois dias. Torçam por nós. Que venha uma frente fria da Argentina!


  • 17 de Janeiro de 2014
  • O comportamento dos americans com outros cães.

Eu volta e meia recebo essa pergunta referentemente ao receio ou dúvida das pessoas em relação a isso. Pessoas que possuem um ou mais cães pequenos, ou grandes, enfim, que temem a relação da raça com os seus. Alguns complementam e dizem que possuem gatos também.
Eu já respondi essa pergunta no meu site. Deve estar no ícone Verdades e Mitos. Mas não custa complementar. Quando se adquiri um cão de uma raça que possua força e mordedura potente (várias raças se incluem nesse exemplo) devemos entender que existe a necessidade de uma convivência desde cedo com outras raças. Não podemos estimular a agressividade e reprimir qualquer ato diferente da boa convivência. Eu tenho muitos exemplos de pessoas que possuem um american convivendo com outras raças. Mas, como com qualquer outra raça nos moldes que falei poderá um dia brigar. Isso é inerente ao animais. Uma competição por afeto, liderança, um desafio, uma disputa por um osso colocado entre eles. Não é possível prever com certeza um acontecimento fortuito, um acidente de percurso.
Outro aspecto é a escolha do filhote. O cão nascido de pais agressivos tende a ser igual. Mas numa mesma ninhada encontramos personalidades diferentes. Numa situação como essa em que se deseja um american para conviver com outras raças é importante o criador saber escolher um filhote meigo, tranquilo e que não seja o alfa da ninhada.
Temos testes para entender melhor o comportamento futuro do filhote. Isso nos ajuda a perceber se o filhote será mais sociável. 
O Pronto Socorro registra diariamente inúmeros casos de agressões com cães de todas as raças e na maioria sem raça definida. Mas quando um american, ou um pitbull agride todos afirmam: vistes como é uma raça perigosa. Na época em que o dobbermann era moda falavam que era uma raça criada pelos nazistas e que seu crâneo era inferior ao desenvolvimento do cérebro. Isso acarretaria dor (cefaléia) e o deixaria irritado e pronto para morder até a sombra. Minha mãe teve um dobbermann quando eu ainda nem pensava em criar cães. Meu tio naquela época dizia: esse cão é uma fera. Mas como era doce e querida a nossa Alfa. Meu pai pegava pedaços de pão e colocava carinhosamente num pote com leite para agradá-la. Meu avô deixava um espeto só para ela ao fazer churrasco. Morreu sem ter mordido alguém. Para não mentir, uma vez minha mãe estava com um pintor no pátio que subira numa escada. A Alfa deve ter achado estranho aquilo e deu uma mordidinha, bem leve, na nádega do pintor. Ele gritou para minha mãe: ela está querendo me atacar. Mas a mãe chamou a atenção da Alfa e ela ficou tranquila. Uma "fera". 
Eu ainda creio que a fera seja o homem com suas idiossincrasias, sua forma de tratar os animais, as pessoas e a natureza. É óbvio que do mesmo modo que uma pessoa possa ser psicótica um cão também pode ser. Mas isso é identificável no decorrer do desenvolvimento do animal, mas não é a regra nem para humanos e nem para cães. 
Sendo assim, um american pode conviver bem com outras raças, da mesma forma que os humanos podem conviver bem entre si.


Nelson Filippini Almeida


  • 14 de Janeiro de 2014
  • Evolução dos filhotes.

Os filhotes da Baby Snake com o Will ficarão bem compactos, pequenos e forte. Lindas cabeças. Agora terei que observar como serão no futuro pois é a primeira vez que cruzo tanto com ela como com ele. Ninhada pequena de 4 filhotes e hoje reservaram o último que faltava, um belo macho preto com marcações interessantes.

A ninhada da Sharon é maravilhosa e essa semana completou o total e reservas. Ficarei com uma fêmea e um macho da mesma. Caso decida não ficar com o macho azul eu coloco no site. Coloco essa dúvida em razão de estar para ficar com filhotes também da ninhada da Thora com o Highlander.

A ninhada da Endy com o Blue Rambo ainda dispõe de 3 filhotes (um macho e duas fêmeas). A da Thora são seis filhotes e, embora tenha algumas reservas tenho que aguardar que abram pelo menos os olhos para tirar as primeiras fotos. 

A Maphia está para ter filhotes do Cielo esse mes e depois terá um grande descanso.

A Sherwood nunca teve filhotes enquanto a sua irmã de ninhada já foi mãe duas vezes. Eu duvido que esteja participando de exposições uma fêmea mais bonita do que a Sherwood. Quem a olha pessoalmente fica encantado e não são poucos. Ela é grande e quando coloquei para cruzar com o Will ele não alcançava mas durante o período da noite deve ter conseguido uma elevação ou tenha se esforçado mais para elevar as coxas e permitir-se ao prazer instintivo. Só sei que a Sherwood está grávida e se conheço um pouco da raça nascerão filhotes maravilhosos. É um acasalamento totalmente aberto entre uma fêmea filha de um casal importado que só possui Ch. Americanos em seu pedigree (Highlander e Europa que podem ser analisados no meu plantel) com um macho que é filho de um importado com uma fêmea que reune o melhor da minha primeira fase New Kraftfeld.  

A raça American Staffordshire passa periodicamente por modismos em que um ou outro sangue entra em voga em razão de resultados em pistas. O problema é que os melhores não estão necessariamente nas pistas mas nas casas de seus donos ou nas dos criadores que não querem ou cansaram das exposições. 

Numa hora dessas eu entro na briga de novo. Já venci 6 rankings e posso vencer mais um. Por enquanto estou feliz assim. Mas porque não aumentar o número de inimigos de vez em quando? Os inimigos foram feitos para serem irritados e ignorados. Mas devemos estar sempre fortes. Percebo isso porque quando ganho poucos me cumprimentam. Isso é sintomático como diria Freud. Ou, como falaria Sherlock Holmes: creio que seus cães sejam os primeiros suspeitos de os irritarem, não é meu caro Watson?

 

 

 


  • 11 de Janeiro de 2014
  • Amizade...

Muito se fala da importância da amizade. Nos tempos atuais as pessoas estão tão mergulhadas em seus problemas, em seus egos e necessidades que não surge um tempo para mais nada. E  amizade sofre com isso pois ser amigo significa perscrutar a realidade  da outra pessoa, sentir um pouco de sua natureza e de seus anseios e procurar ajudá-la, confortá-la, estimulá-la e agradá-la. Vibrar com suas conquistas e não sentir raiva se o amigo compra um carro bem melhor que o seu. Se tem a mulher mais bonita, se viaja a todo instante para a Europa ou se possui mais inteligência ou tem maiores títulos.

O amigo supera a inveja e a substitui pela alegria de ver a vitória da pessoa que estima. 

Alguns ambientes são mais propícios para existir amizade. Dentro do próprio lar a amizade muitas vezes inexiste em razão da competição entre irmãos. Conheço um médico famoso em Porto Alegre que possui um irmão da mesma especialidade. Ambos são bem sucedidos. Os pais possuem terras e ambos construiram alguma coisa nessa área. Depois de um tempo um dos dois desejou, após a morte da mãe ficar com a parte onde havia construido. O outro se sentiu prejudicado porque alegou que essa área era um pouco melhor do que a dele. Sugeriu que vendessem e dividissem. O outro não concordou. foram parar na justiça. Irmão contra irmão. Numa das ocaisões um deles acabou dando um soco no outro. Esse entrou com queixa crime e abriu processo... Estão com 60 anos aproximadamente. Discutem na justiça há 15 anos e nunca mais se entenderam, falaram ou trocaram qualquer comunicação. Tenho um outro conhecido que por motivos de herança não se entendeu com o irmão e ambos nunca mais se falaram, se odeiam e tiveram uma disputa litigiosa pelos bens que na verdade era uma bela casa, num bairro nobre que valia em torno de 2 milhões de reais. 

A amizade e a inimizade estão presentes em todo o local onde não existe amor. Em qualquer circunstância onde existe algum conflito em que as partes não conseguem se entender é porque não existe amor de uma ou de ambas as partes. E na amizade o combustível principal é o amor. Talvez a amizade seja filha do amor, uma de suas prediletas ou a mais acarinhada. A escolhida como se fosse uma princesa. Sem amizade os criadores de cães não se entendem e disputam com vaidades o seu espaço. Uns falam dos outros e só falam bem de seus conhecidos por puro interesse. Depois de pouco tempo criando já se sentem conhecedores e depois de vencerem um ranking muitas vezes por razões outras que não são as qualidades de sua criação ou de seu cão mas a perseverança em levar em exposições ou a influência do handler ou da excelente apresentação de um cão que na verdade nem é tão bom em estrutura. Mas mesmo que seja o melhor cão do mundo não é motivo para que as pessoas se apartam e inflem os seus egos. Tem tanta coisa mais importante.

Seja como for, essa princesa que acompanha o amor em suas jornadas nas veredas da existência não costuma se misturar com a plebe. A plebe é a imensa massa de medíocres que só pensa em si. A amizade é uma princesa pura e fiel. Não conhece a desonra e nem a maledicência. É recatada e inteligente. Protetora e humilde como uma águia no alto dos cumes cuidando de sua cria. 

Por isso devo valorizar as minhas boas amizades. Eles são valiosissimas nessa Terra. E são raras como as princesas. A plebe acredita no amigo do facebook. O inteligente busca com ardor o encantamento do encontro inefável com o anjo. Sim, a princesa muitas vezes se apresenta como um anjo.


  • 08 de Janeiro de 2014
  • A sorte de quem ficar com um filhote da Sharon!

A Sharon só falta falar e hoje eu reparava os filhotes se relacionando entre si e a forma como a Sharon interage com eles e comigo. A Sharon possui qualidades advindas de um inbreeding usando o sangue do Aliaj Red Byron e da Thatcher. Para quem não sabe foram os meus primeiros importados e já falecidos. O Red Byron era um american grande, forte e com um desenho de cabeça que não existia ainda no Brasil quando eu o trouxe. Na 1a vez que eu o levei em pista parecia um peixe fora da água. Já a Thatcher era bela, inteligente e extremamente afetiva. Ambos tinham instinto de guarda e a Thatcher era apaixonada pelo Byron. Um dia o Byron mordeu a articulação da Thatcher o suficiente para lesioná-la para o resto da vida. Eu não arrisquei mais em soltá-los juntos. O Byron era amigo mas temperamental em termos de ciúme e, numa dessas afastou a Thatcher de forma infeliz. Separei os dois para sempre e ela ficou triste. Sempre senti por esse fato. Mas o espírito da Thatcher se incorporou na mente de várias fêmeas descendentes dela. Entre as peculariedades comportamentais espontâneas eu citaria uma tendência a oferecer a patinha quando chegamos. Outra é sorrir. Pois é, engraçado, mas a forma como abre a boca em certos momentos parece um sorriso. Só vi isso em certas fêmeas descendentes da Thatcher. É uma contração dos lábios que parece um sorriso. O olhar penetrante e submisso que esconde uma coragem e força de proteger a família é outra disposição que notamos na convivência. 

A Thatcher era filha do Ch. Mundial de 1997 e o Byron filho de um vencedor de ranking no USA. Ambos foram importados dos USA numa época que só cruzavam os mesmos americans Gameness entre si, os Costa-Riquenhos e um macho que havia sido importado dos USA mas fugira e nunca mais encontraram. Era o Bear Mountain War Cloud. A pessoa que o trouxe acabou desistindo de criar e se frustrou bastante. Casualmente depois que eu fiz o cruzamento fechado com o sangue do Byron e da Thacher e que deu origem ao Tarzan Thahen New Kraftfeld eu introduzi um sangue da Costa Rica que era famosa em ter cães de temperamento muito forte, ditos apimentados. Usei a Kay que era NK com um CR. Bem, a Kay também tinha esse comportamento especial que citei que herdou da Best Hillary, filha da Thatcher.

Seja como for, essas jóias primordiais da história da raça american no Brasil irão se perder se nós enltecermos apenas outras linhas de sangue que agora vencem na Europa. Eu vou introduzir na minha criação o sangue do atual Ch. Mundial (Don King of Rings) numa hora dessas mas eu nunca abandonaria a minha base que tanto admiro e não troco por nada. Eu introduzo, faço um esqueleto e mantenho a rota que me permite voltar. Nesse ponto eu lamento pelas pessoas que não notaram a possibilidade rara que estão perdendo ao não terem um filhote dessa derradeira ninhada da Sharon. Em breve a ninhada estará toda reservada. Felizes dos que tiveram essa visão. Eu ficarei com um macho e uma fêmea.

Vejam o filme da Sharon com os filhotes que fiz ontem.

Boa noite a todos!


  • 07 de Dezembro de 0014
  • Do Orkut ao Face passando pela mediocridade...

Como é triste a inveja. Eu tinha, na época do Orkut um número muito grande de amigos registrados. Mas eu notava que apesar de colocar belas fotos ou comentários a imensa maioria me deixava solitário. Não se pronunciava. Quando levantava uma bandeira pela cinofilia um ou dois gatos pingados apareciam. Ao mesmo tempo, quando algum medíocre membro das panelas colocava uma foto de algum cão surgiam inúmeros comentários positivos. Quando um criador ganhava o ranking apareciam congratulações de vários cantos e quando eu ganhava apareciam poucos aplausos. Eu aprendi a conviver com a mediocridade pois minha formação como médico, tendo trabalhado vários anos na equipe de saude mental da Secretaria da Saude me obrigou a tentar entender a mente humana. Nesse momento eu estou prosseguindo um curso de pós graduação em Psicoterapia de base analítica. Nos momentos que medito sobre a mediocridade eu sempre me lembro do livro de José Engenieros "O Homem Medíocre". Lá ele traça um paralelo entre o idealista e o medíocre. Parafraseando ou tecendo um paralelismo analítico eu diria que aqueles que aplaudem apenas os seus "amigos" não vislumbram a realidade e nem são inteligentes. Outro dia eu fiz um comentário no facebook sobre um cão de outro criador. Elogiei tentando ensinar magnanimidade.

Um belo dia eu deletei quase mil amigos do Orkut. Na verdade encerrei a conta e nunca mais abri um orkut. Não foram boas as esperiências com o mesmo. Há alguns meses eu deletei a minha página do facebook e conservei apenas a que se chama Americans New Kraftfeld. Mas uma esperança cega na humanidade me fez gerar novamente uma outra com meu nome. Venho mandando vídeos que são muito visitados. O pessoal gosta e poucos curtem. Não gostam de se expor para os seus amigos que viram meu vídeo. A maioria dos que criam e usam um New Kraftfeld só colocam o primeiro nome que eu registrei do cão. Não colocam o New Kraftfeld. São débeis porque se colocarem o New Kraftfeld conseguem vender mais facilmente porque quem pensa sabe que New Kraftfeld é sinônimo de qualidade. E mais cedo ou mais tarde a pessoa descobre ao ler o pedigree que existe um NK no sangue. Vejo isso há muitos anos. Existe um ódio incrível do medíocre sobre o idealista, o bem sucedido, o que se sente como o melhor. O ódio talvez seja porque eu sempre disse que era o melhor. Mas esse melhor não caiu do céu. É fruto de trabalho, amor, perseverança e feeling. Com mais de 20 anos criando, tendo gerado o maior número de campeões da raça, prova é que seis vezes venci o Rannking de Melhor Criador pela CBKC. Nunca precisei "comprar" resultados através de marketings junto a mídia ou junto aos juízes que chegam a ser amigos dos "vencedores" nas próprias mídias sociais. Eu não venço sempre o ranking porque não disputo sempre. Só quando desejo e esse desejo vaidoso não me é importante. Há uns 14 anos atrás eu tive vontade de vencer. Ganhei o meu primeiro ranking (2000). Daí escutei que fora acaso. Daí resolvi vencer mais uma vez (2001). Daí ouvi que fora coincidência. Daí resolvi vencer até que não ouvisse mais nada. Venci 5 anos consecutivamente pela CBKC. (2000 até 2005). Disseram que o Byron e a Thatcher que eu havia importado estavam ultrapassados, como se algum cão pudesse ter esse adjetivo (só meus medíocres concorrentes que dizem essas asneiras) e em 2005 um filho do Byron com a Thacher se tornou Ch. Mundial. 

Resolvi tirar meu time de campo e me dedicar apenas ao que mais gosto: criar com amor e enviar a melhor qualidade que consiga para outras pessoas. Não sou uma fábrica de televisores e lido com variantes biológicas mas mesmo assim consigo agradar a maioria. Dizem que uma força invisível ajuda os que perseveram no bem e eu acredito nisso. Como criador e como homem procuro aprender e seguir em frente. Erramos e acertamos e, com uma boa bússula interna chegamos no nosso norte.

Lá pelos anos de 2009 uma pessoa do Acre me disse: me falaram que o sr. não vai mais nas exposições porque seus cães não irão mais ganhar. Eu perguntei quem havia dito isso e ele respondeu que um criador do sul que negou. Seja como for eu aceitei, incentivado por um amigo handler que estava iniciando, a disputar o ranking novamente e em 2010 consegui o feito novamente. Estou tentando me manter afastado desse circo desde então. Estou feliz por não escutar ou ver o que não gosto. A mentira é filha da inveja, sobrinha da ignorância e neta do desespero. Por isso o derrotado sofre ao ver que o que vence. Sua arma é a língua que vocifera alimentada por uma mente sofredoura. Se ele é amigo do que vence reprime a sua inveja mas sofre calado. O inimigo consegue sublimar o ódio falando mal. Mas isso é só um lenitivo pois o seu sofrimento persiste. 

Só é feliz aquele que ama o que faz, persevera no bem e na qualidade e aplaude os que admira. Para admirar é preciso se esvaziar da inveja. Quem admira aprende a vencer também desde que tenha as virtudes dentro de si e não queira vencer com segundas intenções.

Vencer os rankings é o que menos importa para mim. Sinto que o mais importante já conquistei pela qualidade que gerei e enviei. Pela história e pela minha dedicação à raça. Comecei quando a maioria se interessava por outras raças. Enquanto perseverei a maioria foi desistindo e quem aparece geralmente o faz por algum tempo. O verdadeiro amor é duradouro. Ver os filhotes, planejar cruzamentos e aprender todos os dias me inspira a prosseguir. Por isso trouxe mais tres cães recentemente e que já dão o que falar (Highlander, Usa e Europa). Tem o perfil para os cruzamentos que fiz e ainda farei. Agora estou adquirindo uma fêmea de uma genética que não tenho e recebendo outra como presente de um amigo. 

Um impulso me impele para deletar novamente meu espaço no facebook mas vejo que as pessoas visualizam bastante meus vídeos. Não os curtem mas... Minha mulher diz para eu deixar assim. Ela diz que o face é divertido e se diverte c olocando a privacidade em segundo plano. Minha filha tem o face amarrado ao cérebro. Acho que o face foi feito para as mulheres. Quem mais gosta de exibições e de fofocas do que as mulheres? Nem Freud entendeu as nossas amadas (brincadeira com as queridas mulheres).

 

Por falar em filhotes fiz um belo filme da Sharon com seus filhotes. Ela merece. Peço a gentileza que vejam esse vídeo!

Ótima 4a feira!


  • 07 de Janeiro de 2014
  • Dia a dia...

A Ida começou a oferecer a papinha para alguns filhotes e eles estão gradativamente aceitando. Cada dia melhores. Fiz hoje um filme dos filhotes da Sharon com o Beatle. Estou tentando falar com as pessoas que reservaram filhotes machos da Endy mas não tenho conseguido. Caso venham a ler essas palavras peço que me contatem por gentileza.

Bem, os filhotes da Thora estão evoluindo e enquanto não abrem os olhos (aos 13 dias) sempre me preocupam mais e tenho uma neurose de me preocupar se a mãe deitou em cima de algum. Outro dia me deu uma sensação desagradável e fui ver a Thora e lá estava um filhote atrás dela. Criar exige muito trabalho se nosso objetivo é ótimo. Criar por criar sem objetivos nunca fez parte da minha vida ou dos meus planos. Os americans não saem da minha cabeça 24 horas por dia.

Talvez seja por isso que me comunico com eles e os mesmos com a Ida. Nos complementamos pois ela percebe e faz por eles certas coisas que não sei fazer tão bem e vice-versa. Por isso eu e minha mulher dialogamos e nos alertamos sobre detalhes que acontecem no dia a dia.

Boa terça-feira para todos!