Blog do Criador

Esta seção é o blog do criador. Impressóes sobre o American staffordshire terrier, a criação, o canil, assuntos relevantes e polêmicos podem ser abordados de forma livre e transparente. Se tens alguma contribuição verdadeira a fazer para a raça envie um e-mail que discutiremos.

  • 03 de Janeiro de 2014
  • Fotos dos filhotes da Baby Snake com o Will.

Coloquei as novas fotos tiradas hoje da ninhada da Baby Snake com o Will agora com 18 dias. Analisando a genética dos dois vemos que abri bastante no que se refere ao sangue do pai do Will que é totalmente diferente do que eu dispunha no plantel. Por outro lado mantive minha base através do sangue da mãe do Will e dos antecedentes da Baby.

Tanto a Baby como a sua mãe, a Snake, são fêmeas pequenas. Mas possuem antecedentes de muita estrutura como a Brigith Bardot filha do Red Byron e da Thatcher, ambos importados dos USA. O Faith Strong também está no sangue da Baby que era um american maravilhoso. E o Will é forte e que lembra algumas características de cabeça do seu avô, o Hendrix Junior New Kraftfeld que tantas pessoas gostam. Inclusive os dois juízes que deram o primeiro lugar a ele em duas especializadas que disputou com 30 americans em pista. O passado é importante pois formam a base de tudo e é o que irá determinar nas proles.

Nasceu hoje a ninhada da Thora com o Highlander mas me entristeci porque depois que fui dormir nasceram os filhotes e encontrei 3 mortos. me culpo por não ter ido novamente ver a Thora. São seis sobreviventes mas torço para que vivam até a hora de serem independentes.

As fotos que aparecem aqui são dos filhotes da Baby e do Will com 18 dias - tiradas hoje.

Torçam por nós!


  • 02 de Janeiro de 2014
  • Coloquei 3 vídeos!

Coloquei no ícone vídeos 3 vídeos novos. Um do Highlander brincando com a Farah na disputa por um pano. Outro da façanha do Highlander tendo matado um ouriço e outro com o nome Meu Ajudante.

Nesse final de semana coloco fotos novas dos filhotes.


  • 02 de Janeiro de 2014
  • O que se passa...

Já 2014 e para que seja animado nada como matar um ouriço e ficar cheio de espinhos na boca. É assim que talvez pense o Highlander pois ele detonou com um ouriço. Normalmente quando um ouriço aparece o american ataca mas com a dor dos espinhos desiste. O Highlander matou. Fiz um filme do estado que ele ficou. Vou editar hoje e coloco no site e no youtube. Coloquei agora um filme mostrando a Farah brincando com o pai (Highlander). Os filhotes estão evoluindo dia a dia. Colocarei novas fotos nesse final de semana. Na foto eu seguro o pobre ouriço.

Ótimo 2014 para todos!


  • 26 de Dezembro de 2013
  • Primeiras fotos individuais.

Amanhã eu tirarei as primeiras fotos individuais dos filhotes da ninhada da Sharon com o Beatle. Começaram a abrir os olhos hoje e amanhã creio que poderei fotografá-los individualmente. Mostrarão melhor características preliminares dos filhotes como cor e algumas virtudes que os bons olhos podem perceber ou lhes agradar.

Os da Baby Snake e os da Endy em breve colocarei também pois a diferença de tempo entre eles e os da Sharon é de apenas 3 dias.

Lindos filhotes! Hoje fez 42 graus a tarde e os cães sofreram. Demos banho em alguns deles. Os filhotes da Endy choravam sem parar no final da tarde e eu achava que pudesse ser porque a Endy não estivesse amamentando direito mas era o calor que atrapalhava a Endy e os filhotes. Molhamos as patinhas de todos os filhotes e colocamos água na boquinha deles. Daí pararam de chorar. Esse feeling foi da minha esposa, a Ida.


  • 22 de Dezembro de 2013
  • Meus americans gostam de rock.

Os filhotes estão muito bem. Os da Sharon com O Beatle completaram hoje 9 dias. Os da Baby Snke com o Will e os da Endy com o Rambo estão com 6 dias. Eu fiz um filme com luz natural dentro do canil e achei meio escuro. Ia fazer outro com luz artificial mas optei por aguardar que abram os olhinhos aos 13 dias. Nesse caso, dentro de 5 dias farei o primeiro filme dos filhotes da Sharon e com as várias fotos individuais para assim poder se avaliar. O padrão de qualidade é o mesmo só variando marcações e cores. Dentro de 9 dias eu faço um filme dos filhotes da Baby Snake e da Endy. Vale a pena fazer uma reserva agora pois como sempre as pessoas vão reservando e isso é bom para garantir um belo New Kraftfeld. Amanhã envio o último filhote que estava ainda comigo da ninhada do Tottenhan com a Queen. Fiquei feliz pois está com bela estrutura e muito afetivo. Vai para o RJ e deixará essa pessoa satisfeita. As vezes as pessoas pennsam que o último é o pior, mas na verdade é apenas o derradeiro a ser escolhido. Todos não podem ser escolhidos ao mesmo tempo e as pessoas não possuem o mesmo gosto. 

A Sharon saiu bem dessa cesárea com histerectomia. Se recuperou e já se alimenta muito bem. Aparece na entrada do canil para nos receber e corre até os filhotes orgulhosa. Pego alguns filhotes e digo: que lindos os teus nenezinhos e ela parece gostar. Como não poderei mais tirar filhotes com a querida Sharon e para deixá-la feliz eu a deixarei criar até o tempo que der uma filha e talvez um machinho que se somarão ao plantel. 

Depois de um periodo em que tanto a Sharon com a Endy não queriam se alimentar e precisavamos oferecer na mão finalmente estão se alimentando muito bem sozinhas. Além a ração superpremium filhote misturada com carne de latinha oferecemos leite diariamente que aumenta a quantidade de leite nas mamas. As tres são zelosas. A Baby Snake é uma parada porque ela tem a mania de virar de barriga para cima para acarinharmos e agora, dentro da caixa e com os filhotes inventou de fazer isso outro dia. Estão todos fortes e encantam a gente ao pegarmos nas mãos.

A Thora de fato está grávida e a hora se aproxima pois será no inicio de janeiro. Tomara que tudo ocorra bem conforme foi no cruzamento com o Monster. Chega de cesárea! A Maphia também engravidou do Cielo mas é para meados de janeiro. Depois vou descansar a Maphia e a Thora. A Kay e a Sharon não poderão mais ter filhotes pois foram submetidas a cesareanas. Depois vamos planejar o que virá pela frente. 

Fez sol hoje no Campo de Força e fiz um gostoso churrasco ouvindo alguns cds e entre eles o Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band dos Beatles. Creio que meus americans gostam de rock.

 

 


  • 17 de Dezembro de 2013
  • As coincidências...

Carl Jung disse que se jogarmos os palitos de uma caixa de fósforos no chão estes cairão numa conformação que tem relação com aquele momento. De certa forma tudo que acontece no universo tem uma relação com aquele instante. Isso é uma base que explicaria a existência das interpretaçãoes astrológicas e o entendimento do I Ching. Tudo isso para dizer que a Sharon fez cesárea no dia 13 porque um filhote estava sentado e não saia pois estava sentado e palpei o rabinho. E no dia 16 aconteceu tudo igual mas com a Endy que também fez cesárea. Duas madrugadas intensas e sono nos dias seguintes. Coincidências...

Bem, amanhã eu coloco detalhes das ninhadas que nasceram. Vamos torcer para que a situação melhore e a zebra volte para a África. Vou colocá-la no navio!

São belos filhotes que sobreviveram. Tiro as fotos iniciais apenas ilustrativas amanhã e quando abrirem os olhos (com 13 dias) coloco fotos individuias como sempre faço!


  • 16 de Dezembro de 2013
  • Seguindo a madrugada...

Nesse momento são cinco horas da madrugada. Vontade de deitar e dormir mas tenho que acompanhar a Endy que está com dificuldade de ter os filhotes. Nasceu o primeiro às 11 horas e o terceiro há pouco. Demorando entre um e outro. Tomara que não vá para uma cesárea que nem a Sharon que agora passa bem criando os seis que nasceram. A Baby Snake teve apenas quatro filhotes o que me deixou aliviado pois é sua primeira experiência como mãe. Porradinhas os quatro que teve com o Will. São dois machos e duas fêmeas. Assim que a poeira descer eu coloco detalhes pois nessa fase instável nem sabemos bem o que irá acontecer de sustentável.

Fiz um filme rápido ontem do Highlander com a Thora. A imagem ficou com pouca resolução. Vou melhorar na próxima filmagem. Nem sempre corre tudo como queremos. As vezes é uma configuração na máquina e outras do destino. Somos protagonistas dos nossos destinos ou marionetes do determinismo? Bela pergunta no meio da madrugada silenciosa e inquietante.

Depois dou mais detalhes já que são os mais desejados.


  • 03 de Dezembro de 2013
  • Entregando os filhotes...

Estamos entregando os filhotes e estamos felizes que estão fortes e alegres. Conversamos com eles todos os dias e assim aparecem ligeiro ao ouvirem nossas vozes e confiam no ser humano. Fazemos carinho e damos a comidinha e é uma festa. Bela ninhada essa da Shadow com o Cielo. Vale a pena repetir mais adiante esse cruzamento. Ainda disponho de um machinho da ninhada da Queen com o Tottenhan. Ainda não foi escolhido. 

A Endy, a Sharon e a Baby Snake estão de fato grávidas e cada dia mais barrigudinhas. Hoje as luzes do final de tarde formavam uma bela visão da Sharon ao estar solta no pátio enquanto eu estava na casa de ferramentas dando uma organizada. Pensei em tirar uma fotos naquele momento mas não desejei interromper o que fazia. A chuva surgiu e desapareceu que nem veio. E as luzes do final da tarde, talvez mescladas pelo efeito prismático das nuvens no horizonte criaram um cenário de rara beleza. Uma grande alegria tive hoje pela manhã. Há anos plantei uma árvore cuja flor demora anos para aparecer. O Flamboyan. Hoje, em meio à chuva vi que já brotam algumas flores vermelhas entre o verde das folhas. Essa árvore é de Madagascar.

Sem dúvida a alegria brota das pequenas coisas e a felicidade encontramos muito mais na simplicidade do que no complexo. Por isso uma flor de Flamboyan pode se tornar importante .


  • 26 de Novembro de 2013
  • O pó...

Eu estava pensando em escrever algo sobre o canil mas me ocorreu discorrer sobre conceitos. O ser humano busca o reconhecimento. Mas muitos preferem descartar a notoriedade. Alguns se desencantam do mundo ao serem descartados e outros encontram mais forças nessas horas. Muitos vencem diante da desgraça e outros possuem muitas riquezas mas diariamente se mutilam com ansiedades e sofrimento. Conhecemos pessoas com poucas posses que possuem um bem maior que é o carater e a dignidade. Mas nos deparamos com tantos que em meio a riquezas usam suas influências para pisarem nos desfavorecidos e viram o rosto ao verem a dor do semelhante. Muitos acreditam que uma luta deve ser vencida de qualquer maneira independentemente das consequências e das sequelas. Outros ponderam e refletem que perder muitas vezes é vencer e perder pode ser uma vitória. Aquilo que vemos com os olhos ou surge de nossas relexões nunca é a verdade absoluta. Apenas uma parte do todo e por isso parcial. Devemos pensar muito bem quando nos degladiamos com alguém porque o confronto é a pura revelação de nossa incapacidade de entendimento e ausência absoluta de amor. Quem ama transcende o conflito e se harmoniza pois no cerne do amor todos os segredos são revelados mesmo que os inauditos. Mas se tiveres que enfrentar um inimigo lembre que nada sabes do futuro e talvez aquele que deseja o teu mal encontre uma pedra mais adiante que o leve a tropeçar. A vida é repleta de mistérios e somos apenas uma partícula no universo. Quando olhamos uma foto tirada por uma sonda espacial em que a Terra parece um pequeno pó no cosmos devemos lembrar o que realmente somos e o quanto é desproporcional o valor que nos damos. 

 

Nelson Filippini Almeida


  • 23 de Novembro de 2013
  • Evolução do American Staffordshire (continuação)

O homem moderno não possui muito tempo para perder com o seu cão e esse é geralmente relegado a um segundo plano. Isso faz com que ele involua psicologicamente. Sendo tratado apenas como um cão não existe forma de ele interagir de maneira mais inteligente conosco. Quando escutamos pessoas dizendo que meu cão só falta falar e que percebe até os meus gestos. Quando ouvimos que o cão nota quando estamos irritados ou queremos algo e assim por diante é porque existe uma relação de cumplicidade entre o cão e o homem. Quanto mais o animal convive conoso, recebe afeto e percebe sinais de toda a ordem, de forma maior irá nos surpreender.

Existe um ponto importante que preciso discorrer. Há muito tempo que o homem dá uma importãncia capital a seu aspecto físico. A busca de academias para modelar o corpo e o enfrentamento de exercícios de toda a ordem para ficar mais forte. O entusiasmo pelas lutas de MMA. A competição, a força, a coragem para vencer e suportar a dor. A luta contra o inimigo. A comparação entre o seu corpo e de outro. O uso do espelho para acompanhar o crescimento do bíceps e de todos os outros músculos que vão aumentando as custas de muito exercício e uso de drogas, vitaminas, hormônios, aminoácidos e suplementos de várias naturezas. Nesse ambiente enlouquecido não poderia existir um cão mais apropriado para ser lembrado. O pitbull com o american staffordshire são facilmente identificáveis com força, coragem e capacidade de competirem. Só que essas exigências eram aproveitadas numa época muito antiga. Quando o homem os empregava para lutas caninas. Durante muitos anos os criadores sérios estão estimulando justamente o contrário. para que sejam corajosos, nunca medrosos, mas pacíficos.

Bem, é comum que essas pessoas peguem filhotes de american e os submetam a exercícios em fases precoces, quando ainda não estão com a estrutura ósteomuscular pronta, desenvolvida ou terminada. Vejo pessoas colocando os seus filhotes para morderem pneus e levantando as cordas e depois soltando-as. Vejo filhotões sendo colocados em esteiras e praticando natação além de suas possibilidades. Já vi casos de americans que morreram de tanto receberem anabolizantes. Já vi cães participando de exposições que estavam com um peso que é era obtido por alimentação forçada. Os seus donos e handlers usavam o que se chama de "bolinha". Ou seja, fazem uma bolinha e colocam guela a dentro do cão. Esses cães depois de alguns anos são afastados das exposições e ficam um lixo físico. 

Por isso que é importante salientarmos que além da atenção psicológica ao american é fundamental o cuidado da evolução física. Tudo no seu devido tempo e nada além do que a idade permite.

Não devemos engordar o american enquanto ele se desenvolve porque os aprumos são afetados e as articulações sofrem também com isso. A displasia que muitos entendem como um problema hereditário ou genético nem sempre ocorre por essa razão. As causas são ainda estudadas e, embora a hereditariedade seja uma causa importante não é a única vilã nessa história. Outros fatores como nutricionais, de manejo e até ambientais como um canil com piso liso podem determinar essa patologia.


  • 22 de Novembro de 2013
  • Evolução do american staffordshire terrier.

O homem e o cão vivem há séculos num processo progressivamente elaborado de tal forma que cada vez mais encontramos características humanas no cão e, para os que se envolvem com eles notamos uma compreensão sutil da natureza canina.

O cão passou a participar ativamente de inúmeras atividades do ser humano e ocupar funções importantes na sociedade. São milhões de cães no globo terrestre exercendo funções que começam com uma simples companhia para pessoas solitárias, auxiliares no esporte da caça, no descobrimento de drogas ilegais e outras delegações policiais, guias de cegos, no socorro de doentes em situações específicas como em pacientes com risco de coma diabético ou suscetíveis de convulsões, na guarda territorial protegendo a família, na proteção pessoal contra assaltos e sequestros vigiando dentro do carro, na melhora de sintomas psiquiátricos em crianças com déficit cognitivo ou afetivo, enfim, são tantas atribuições que os homens deram nesses anos aos amigos de quatro patas que percebemos que não existe outro animal que tenha o quilate de sua dimensão para nós.

Considerando que os cães são sensíveis e inteligentes mas não possuem a capacidade de falarem precisamos notar o significado de seus gestos. No últimos anos cresceram as informações a respeito de formas de tratar ou recuperar vícios comportamentais nos cães. programas televisivos, livros didáticos e vídeos mostram técnicas. Cursos de adestramento dos mais variados. O homem passou a se interessar por esses temas. O cão de animal relegado a segundo plano e tratado como um ser que deva ficar no fundo do quintal comendo restos de comida ou amarrado numa corrente passou a ser melhor compreendido e respeitado pelas pessoas cultas e amorosas. Por cultura entendo a capacidade intelectiva de perceber o que é importante nessa vida e uma delas é respeitar todos os seres vivos.

Eu falei de várias funções nobres que o homem aperfeiçoou nos cães. Mas infelizmente a natureza humana é complexa e existe dentro de nós um lobo e um cordeiro. Nós podemos desenvolver virtudes mas também descermos até as profundezas da maldade e da ignorância levados pelos nossos instintos mais primitivos e mórbidos. Alguns homens tiveram a idéia de usar o cão para vencer o touro numa luta. Pareceu convidativo ver um cão pequeno destruir aquele animal imponente e poderoso. Os ingleses entendem que isso ocorreu porque a sociedade da época estava esmagada pela monarquia e sublimava assim a sua agressividade. Ao contrário do toureiro que vence a sua covardia escondendo a lança atrás de um pano vermelho iludindo o inimigo inocente, o rinheiro usa a sua covardia escolhendo um representante para sublimar suas necessidades destrutivas. Na Inglaterra do século dezenove os homens buscavam cães que fossem exímios nessa tarefa. Vários cães foram utilizados e se destacaram os cruzamentos envolvendo o Old English Bulldog e outros cães que pudessem ter essa aptidão. Como o Parlamento ingles proibiu essas lutas o homem migrou a sua neurótica obssessão para as lutas entre os próprios cães. Os cruzamentos utilizando os bulldogs geravam cães com mordedura de ótima pressão e coragem mas havia a necessidade de incrementar a agilidade, rapidez e tenacidade. Cães terriers foram experimentados. Para esse grupo de cães havia a denominação de bulls and terriers.

Quando no final do século dezenove uma pessoa chamada Chauncy Bennet levou para os USA os cães que eram denominados de pitbulls mas não conseguiu reconhecimento do american kennel club. Ele fundou o United Kennel Club e um dos critérios para um pitbull ser aceito era vencer tres lutas. Em 1936 esses cães, depois de um paralelo processo seletivo por outros criadores afastando-os das lutas surgiu a possibilidade de reconhecimento desses cães que eram de nominados de American Pitbull terrier. Foram estabelecidos certos padrões físicos como uma meta seletiva. Assim a aceitação do AKC fez nascer o American Staffordshire Terrier. Nessa época ambos eram o mesmo cão. O pitbull e o AST. Mas o tempo foi dando um aspecto diferenciado na compleição física, cabeça, beleza e temperamentos mais equilibrados que passaram a ser uma meta para cães que seriam também usados para shows ou exposições. O AST é uma evolução do AMPT.

Todo o American Staffordshire é um pitbull aperfeiçoado mas o mesmo passou a não valer para o pitbull com o avanço do tempo e dos cruzamentos seletivos. O AST conserva a coragem e tenacidade original, mas passou a ser cada vez mais tolerante e social com outros cães. Isso vale para a maior parte dos americans que são socializados desde cedo.

No meio de tantas raças com suas características peculiares optei pelo American Staffordshire Terrier. A coragem e rusticidade do mesmo. Sua resistência e beleza. Sua fidelidade e força num espaço físico pequeno seriam os meus motores iniciais para buscar a raça.

Mas com o tempo o homem na sua ânsia de vencer exposições foi dando mais ênfase a características de beleza e apresentação em detrimento da coragem e força num corpo compacto e pequeno e sua tolerância para o aumento das dimensões dos americans foi mudando o aspecto inicial. A raça virou moda e a população da raça explodiu no mundo todo. O AST em boas mãos é uma jóia mas em mãos de delinquentes é uma arma. Ele tem dentro de si um condicionamento que está em sua memória genética. Com o ser humano é dócil e amigo. Geralmente possui aptidões para a guarda conforme a linha genética mas com outros cães normalmente é intolerante quando não os conhece. Por isso precisa ser apresentado para outros cães desde pequeno e assim entender que não são seus inimigos. Com o tempo os criadores criteriosos lograram êxito em ter belos americans com temperamento equilibrado. Mas isso só se consegue no decorrer dos anos. Precisei de muitos anos criando para entender e saber interagir com essa raça. 

O segredo, no meu entendimento é a socialização precoce. Quando ouvimos algum comentário temeroso sobre a raça é porque não a conhecem. Em mais de vinte anos criando e um dos pioneiros da raça no Brasil percebo que pelos comentários que recebo das pessoas por todos os cantos do pais que nunca ocorreu um ataque a algum familiar ou amigo. Isso até poderia ter ocorrido pois qualquer cão pode morder por algum motivo que poderá fugir ao nosso controle. Nunca um american me mordeu ou algum dos meus filhos ou algum dos meus amigos. Minha esposa uma vez foi mordida na mão por uma cadela que havia sido separada de sua prole e ficou nervosa por estar solta no pátio sem eles e escutando o choro de filhotes de uma outra ninhada. Minha mulher levantou de madrugada e pegou um desses filhotes chorando e essa femea entendeu que ela estava machucando seu filhote quando na verdade nem era o seu. Foi uma questão de manejo e infelicidade momentanea e não uma regra.  Creio que se eu tivesse ido lá de madrugada não teria acontecido nada. Sei que foi um ato isolado e precisamos entender o processo como um todo. Quando recebo amigos e até crianças não prendo meus americans na grande maioria dos casos. Gosto de mostrar o equilíbrio sos meus americans. As pessoas ficam encantadas ao visitarem meu canil pois ao percorrerem os boxes individuais não escutam uma manifestação de agressividade e existe um silêncio no canil. Mas eu me sinto tranquilo ao soltar os casais que escolho para cuidar do terreno. Não consigo dormir tranquilo se nenhum american estiver solto. São os meus sentinelas.

Desde cedo nós tratamos os filhotes com amor e conversamos com eles. No toque e nos gestos eles cedo aprendem a serem tranquilos e não temerem. O temor, o medo são os alimentos da agressão no meu entendimento. Pelo medo de morrerem pelo cão opositor nas lutas é que que desenvolveram a agressividade contra o seu igual. O combustível da agressão é o medo da morte que alimenta a luta pela sobrevivência. Quem recebe amor se desarma. É nosso papel realizar o descondicionamento. Essa é a nossa filosofia no manejo psicológico dos americans no Campo de Força (Kraftfeld).

 

Nelson Filippini Almeida


  • 21 de Novembro de 2013
  • Fernanda Lima de vermelho...

Eu estava na noite passada desenvolvendo pensamentos a respeito de aspectos importantes no desenvolvimento psicologico e físico dos americans. Estava inspiradíssimo. Me consumi umas duas horas escrvendo. Subitamente o computador resolveu fazer uma atualização e reiniciou. Nunca havia visto isso. É um notebook novo. Perdi tudo. A TV estava ligada. Durante o periodo que escrevi passou a novela do querido e bondoso Félix, o The Voice do Lulu e só me restou, no exato momento da perda do meu artigo o início do programa Amor e Sexo. Em outras palavras, a minha consolação passou a ser a Fernanda Lima de vermelho, maravilhosa em frente de um jurado repleto de mentes vazias.

Bem, a Sharon está grávida com certeza. A Endy e a Baby Snake creio que sim. A Thora ainda não dá para saber mas cruzou 3 vezes. A  Maphia cruzou anteontem com o Cielo. Chega! Filhotes de qualidade não faltarão para iniciar 2014 com qualidade e encantamento.

Só havia um macho disponível da ninhada da Shadow mas hoje foi reservado. Lindíssima ninhada!

Estou prestes a inundar as galerias com fotos. Aguardem mais alguns dias!

Se quiserem iniciar 2014 com um New Kraftfeld por favor façam uma reserva. Trabalhamos diariamente, de segunda a domingo. Suamos para manter esse processo. Fazemos com amor mas os músculos muitas vezes reclamam de fadiga. A alegria gerada nos compensa e as amizades conquistadas elevam o nosso estímulo.

Meu artigo fica para outro dia.